quarta-feira, 24 de junho de 2009

video

terça-feira, 23 de junho de 2009

NO SITE DA PREFEITURA DE CAMPINAS

Escola municipal ganha prêmio principal do Grande Desafio
23/06/2009, 10:14
Autor: Ingrid Vogl


Engajamento. Com essa atitude, a Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Maria Pavanatti Fávaro, uniu alunos, professores, equipe gestora e pais que resultou na conquista de sete prêmios no III Grande Desafio, evento realizado pelo Museu Exploratório de Ciências da Unicamp que teve o Grande Dia neste domingo, dia 21 de junho.


Entre as conquistas, a equipe “Protetores do Futuro” ficou com a Super Solução, o principal prêmio que dará o direito ao grupo de batizar um asteróide que será registrado na Nasa. Com os prêmios, a escola se tornou tricampeã do evento.


Com o desafio de construir um equipamento capaz de ajudar na preservação de animais em extinção, os estudantes da “Protetores do Futuro” criou um equipamento que teve como principal trunfo o uso da água como combustível. “A força hidráulica foi a escolhida pela equipe e ainda tem a vantagem de não ser poluente”, explicou um dos membros do grupo, Danklas Juan Real dos Santos.


Além da dedicação, estudo, pesquisa e espírito de grupo, Danklas garante que durante os quatro meses de criação do equipamento, o ensinamento mais valioso foi aprender a ouvir os companheiros e trabalhar em equipe.


“A princípio criamos três projetos e escolhemos um para desenvolver. Durante os três anos de participação, aprimoramos ideias e usamos cada vez mais nossos conhecimentos. No primeiro ano de participação, o projeto foi simples, no segundo foi melhor, e este ano fizemos um equipamento mais sofisticado. Percebemos que agora temos mais capacidade de criação”, disse Danklas.


Para desenvolver a engenhoca, os “Protetores do Futuro” foram muito além dos ensinamentos obtidos em sala de aula. Ao todo, foram 17 reuniões, somente com a equipe e também com a professora orientadora, Rosa Maria Campos Brunini Siviero. “Fizemos pesquisas e tivemos ajuda de pais e tios principalmente sobre física”, contou o aluno. A equipe do ensino fundamental concorreu pelo principal prêmio com grupos do ensino médio.


União


A interdisciplinaridade foi peça chave na participação e envolvimento das sete equipes e de toda comunidade escolar no Grande Desafio. “O sucesso da escola só foi possível porque professores de disciplinas diversas, funcionários, equipe gestora, alunos e pais acreditaram e se dedicaram. Houve abertura de visão e motivação, e as crianças enxergaram a possibilidade de que um sonho maior é possível. Elas ficaram encantadas com as descobertas e as conquistas. Para os professores, é uma satisfação ajudar esses meninos e meninas nos primeiros passos para grandes conquistas”, disse uma das professoras de ciências da escola, Midore Hamamoto.


A escola participou da terceira edição do Grande Desafio com seis equipes e 33 alunos dos anos finais do ensino fundamental. Outros 25 membros da fanfarra da unidade, responsáveis pela percussão e corpo coreográfico ficaram responsáveis pela torcida. Tanta dedicação só teve bons resultados: a escola ficou com sete prêmios.


A Emef Maria Pavanatti Favaro conquistou em 2007, prêmios nas categorias Fundamental I (6º e 7º anos) e Fundamental II (8º e 9º anos). A proposta foi criar uma engenhoca para apagar focos de incêndio na floresta. Em 2008, a escola também ganhou o prêmio Melhor Solução na categoria Fundamental II. No ano passado, o desafio foi criar um equipamento para inovar e dinamizar a colheita de laranja.


Desafio


Além da Maria Pavanatti Fávaro, as Emefs Andre Tosello e Padre Leão Vallerie também participaram do Grande Desafio. Ao todo, mais de cem equipes reunindo cerca de 600 estudantes de escolas públicas e privadas de 25 cidades paulistas participaram do III Grande Desafio.


Este ano, o evento teve como tema a criação de um equipamento capaz de resgatar um ovo de gavião real, em ninhos localizados em alturas de até 40 metros. O Grande Dia, quando as equipes apresentaram suas engenhocas, aconteceu no Ginásio Multidisciplinar da Unicamp.


O foco do desafio de 2009 foi ajudar na preservação da harpia (Harpia harpyja), conhecida como gavião real, que é a maior ave de rapina do mundo. O animal é considerado raro porque vive solitário -exceto na época do acasalamento- e exige uma extensa área para sobreviver: cerca de 502 km de floresta para cada ave.


O gavião real vive desde o sul da América Central até o Paraguai, com preferência das áreas tropicais. No Brasil a espécie é encontrada na Amazônia, nos estados do Paraná e Rio Grande do Sul, além de algumas florestas da Mata Atlântica em grandes árvores. Atualmente, poucos relatos da presença de harpia nas florestas brasileiras foram registrados, principalmente devido aos desmatamentos.


Ao estudar alguns aspectos da reprodução do animal, cientistas conseguiram encontrar uma possibilidade de ajudar a salvar a espécie da extinção. As harpias são aves monogâmicas e colocam até dois ovos e geralmente apenas um filhote sobrevive, pois o mais novo acaba sendo morto pelo primogênito.


A estratégia para a preservação seria a captura do segundo ovo e criação do filhote em cativeiro até que ele conseguisse se defender. Como consequência, haveria menor interferência no ciclo de vida dessas aves e a garantia da introdução de novos indivíduos em seu habitat natural. E é exatamente esse sistema de recolhimento de ovos que foi criado pelos grupos de estudantes e apresentados no Grande Dia. O lançamento do evento e todo o planejamento e criação das engenhocas foi iniciada em março.


Incentivo


O Grande Desafio é uma atividade da Oficina Desafio, formulada por uma equipe de cientistas e educadores da Unicamp, através do Museu Exploratório de Ciências em parceria com o Instituto Sangari, com o objetivo de incentivar os participantes a colocarem em prática, de maneira lúdica, conhecimentos repassados pela escola e do cotidiano. O evento que incentiva a criação de máquinas possui quatro categorias: Fundamental I, Fundamental II, Médio e Educação de Jovens e Adultos (EJA).


As equipes vencedoras foram recompensadas com prêmios que valorizam e reconhecem o esforço dos jovens cientistas. No sábado, dia 27 de junho, os grupos campeões ganharão uma viagem científica-cultural a vários pontos de São Paulo. O passeio está previsto para sair da Unicamp, às 7 horas. Livros e kits de ciências também foram distribuídos entre os vencedores.


Mas a grande conquista para a equipe que ganhou o prêmio principal será batizar o asteróide XD96, nº 15453, descoberto pelo astrofísico venezuelano, Orlando Naranjo em 1998. Os “Protetores do Futuro” já tem a idéia do nome para o corpo celeste: Pavanatti. Se o nome for mesmo o escolhido e aprovado para o asteróide, a escola dos brilhantes e jovens cientistas será conhecida internacionalmente. De Campinas para o mundo.


Confira os prêmios conquistados pela Emef Maria Pavanatti Favaro:


Categoria Fundamental I- equipe “Pavanatti entra em ação”- prêmio: Melhor Solução


Categoria Fundamental I- equipe “Jovens Salvadores de harpia”- prêmio: Trabalho em equipe


Categoria Fundamental I- equipe “Resgardia’”- prêmio: Menção Honrosa


Categoria Fundamental I- equipe “Jovens Cientistas”- prêmio: Menção Honrosa”


Categoria Fundamental II- equipe “Protetores do futuro”- prêmio: Melhor Solução


Prêmio Super Solução- equipe “Protetores do futuro”


Prêmio de melhor torcida- equipe com membros da fanfarra da Emef Maria Pavanatti Fávaro

GRANDE DESAFIO

Equipe “Protetores do Futuro” vence o III Grande Desafio
Da Redação
Fotos: Divulgação MC
Edição das imagens: Luís Paulo Silva
[22/6/2009] A equipe “Protetores do Futuro”, da Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Maria Pavanati Fávaro, em Campinas, venceu no domingo (21), o III Grande Desafio do Museu Exploratório de Ciências (MC) da Unicamp. Com isso recebeu o direito de batizar o asteróide 15453, descoberto em 1998, pelo astrofísico venezuelano Orlando Naranjo da Universidad de Los Andes. “Tudo o que eles fazem é com orgulho”, disse emocionada a professora Carmem Lúcia Melotti, professora da escola vencedora. O grupo desenvolveu um equipamento, com manivela de madeira, para faciliar o acesso ao ninho do Gavião Real, objetivo do Grande Desafio.

O nome do asteróide, ainda segredo, será revelado em breve, quando a equipe encaminhará a proposta ao Museu Exploratório de Ciências. A sugestão será entregue ao pesquisador Orlando Naranjo para que ele a submeta à União Internacional de Astronomia (UIA), que analisará a escolha e dará o aval em um prazo de até 30 dias. “Estou seguro de que o nome escolhido pela equipe vencedora será acatado pela UIA”, disse o astrofísico Naranjo. Em videoconferência, apresentada durante o evento, lembrou que isso já aconteceu há dois anos. Em 2007, a equipe Sybots, da escola COC Jean Piaget, batizou outro asteróide do cientista como Ourinhos, cidade de origem da escola.

Foram distribuídos 15 prêmios e sete menções honrosas do III Grande Desafio. As equipes competiram por categorias de ensino, de acordo com a faixa de idade. Nas categorias Ensino Fundamental I e II e Ensino médio, os estudantes disputavam os prêmios “Desempenho”, “Trabalho em equipe”, “Criatividade”, “Melhor Solução” e duas menções honrosas. Na categoria EJA (Ensino de Jovens e Adiltos), os alunos concorriam pela “Melhor Solução” e uma menção honrosa. Independente de categoria de inscrição, todos os participantes do Grande Desafio também podiam ser premiados como “Melhor Torcida”, “Equipe Comunitária” e a “Super Solução”.

Para o diretor do Museu, Marcelo Firer, a maior recompensa é observar o crescimento de todos os estudantes das escolas participante das três edições “Você observa uma equipe que participou dos três Grandes Desafios e percebe que ela melhorou o jeito de conceber o projeto”, disse.

Alegria - Muitas lágrimas de felicidade no Grande Desafio. Mais dos professores que alunos. A professora de ciências Maria do Carmo estava feliz com a apresentação dos seus alunos, integrantes da equipe Fluble, do Núcleo Educacional Interativa, de Itapira, vencedora do prêmio “Melhor Solução”, na categoria Ensino Médio. Eles desenvolveram uma garra eletrônica guiada por câmeraweb para chegar até o ovo do gavião. O objetivo principal era obter vários ângulos dos ovos no ninho, facilitando o resgate. “Essa equipe é muito unida e responsável”, disse a professora emocionada. “Além das provas e trabalhos diários eles ainda se reuniram para desenvolver o projeto”, completou.

Participaram da cerimônia de premiação, no final da tarde do domingo, os pró-reitores da Unicamp Mohamed Habib (Extensão), Ronaldo Aloise Pilli (Pesquisa) e Marcelo Knobel (Graduação), este representando o reitor Fernando Costa; João Fitipaldi, diretor-médico da Pfizer Brasil; Juliana Stefano, do Instituto Sangari; Carmem Zink, membro do Conselho do Museu Exploratório de Ciências e Regis Neuenschwander, diretor do Laboratório Nacional de Luz Síncotron.

http://www.unicamp.br/unicamp/divulgacao/2009/06/23/equipe-protetores-do-futuro-vence-o-iii-grande-desafio

sexta-feira, 19 de junho de 2009

acho que devo alguns esclarecimentos

Para quem nao a conhece, eu explico, a Carmen, professora de educacao fisica da EMEF Pavanatti, ira se aposentar.
Entao, resolvi unir o ultil (trabalho da disciplina) com o agradavel (fazer uma homenagem).
Alem de ser uma amiga formidavel, ela da show quando esta dando aula.
A dedicacao a Fanfarra chega emocionar quem a conhece e acompanha seu trabalho.

ops......adorei os comentarios, mostrarei a ela, mas nao agora...este video sera parte da homenagem que a escola fara para ela no final do mes.

gde bjo a todos e ate o proximo semestre.

Cintia

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Documentario: homenagem

video

quarta-feira, 10 de junho de 2009

COMO SALVAR O HAGAQUE

Entrar no site http://www.nied.unicamp.br/~hagaque/

Baixe o programa na sua maquina e monte sua historia.

Depois de montar o hq, clica em:
1- arquivo
2- salvar como

Abrirá uma janela do hagaque e escrever o AUTOR e o TITULO do hq, dar um nome ao arquivo.

3-novamente em arquivo
4-publicar na internet

Aparecerá o autor e o titulo, digitar o arquivo novamente (pode ser outro nome para diferenciar).

É bom conferir o que salvou, pois quando for postar no blog, fica mais facil o caminho e boa sorte!

COMO POSTAR NO BLOG UM HQ

CLICAR EM:

1-NOVA POSTAGEM
2-IMAGEM
3-BUSCAR
4-HISTORIAS NA INTERNET (DO HQ)

OBS.: SE TIVER MAIS DE UMA PAGINA, COMEÇAR POSTANDO PELA ULTIMA PÁGINA, POIS NO BLOG O ÚLTIMO VIRA O PRIMEIRO NA VISUALIZAÇÃO)

5- ARQUIVO QUE ESTEJA "TIPO" IMAGEM JPEG
6- FAZER UPLOAD
7- VISUALIZAR

E pronto...vc acabou de postar a história do Hagaque no blog.
Quase que não dói!!!!

HQ - A MENINA

quarta-feira, 3 de junho de 2009

OBRA E GRAÇA DO DESTINO...

Graças a boa vontade, paciencia e a enorme gentileza da Rita...
EU CONSEGUI!!!!!!!!!!!!!!
Sim, sim...eu consegui postar no blog o hq!
Ueba!!!!

video